top of page
  • Foto do escritorPaulo Aguirra

O que você quer é sobre você

Ou... Pare de brigar com o outro

Autora: Ana Priscila Fernandes - CRP: 01/18545

+55 (61) 9640-9664‬

Link para: Whatsapp


Você chega em casa e tudo está bagunçado, a louça não foi lavada, a carne não está descongelando na pia, o seu filho está gritando e pedindo sua atenção...


Você olha para o seu marido e sente raiva, você sabe que a casa precisa estar limpa, que o tempo para que as coisas sejam feitas é curto, em menos de três segundos você já percebe que não vai poder descansar agora que chegou do trabalho. Automaticamente te vem:


Por que o meu marido não me ajudou? Ele passou o dia em casa e não fez nada? Ele tirou a esponja da pia do lugar e não botou de volta, qual é o problema dele? Ver esse caos dói em você, e você sente que não foi cuidada, que ele não se importa, que o seu descanso não é importante pra ele, e você grita, e ofende e desqualifica tudo o que ele faz e é, porque está doendo em você e não é justo que não esteja doendo nele também.


Mas por que a louça precisa estar limpa? Por que a janta hoje precisa ser carne? Como ele saberia que é isso que você quer e espera? Você pediu? Já ouvi de você e de algumas pessoas que isso é o óbvio e que todo mundo sabe dessas coisas, que ele te conhece por tempo o suficiente pra adivinhar que é isso o que você quer.


Acontece que essas coisas não são verdadeiras, cada pessoa viveu e aprendeu a lidar com a organização da casa e do tempo de uma forma diferente. Essa vivência que você teve com seus pais, sendo cobrada dessa forma com relação a organização, isso tudo é a sua história e isso é seu.


Não existe essa regra comum e geral no mundo de que a casa precisa estar sempre limpa e organizada, você quer isso, e você precisa dessa organização porque é uma necessidade sua.


Essa necessidade não é do seu marido ou do seu filho, e esperar que eles adivinhem que é isso que você precisa acaba sendo uma escolha ruim porque você vai sofrer por muito mais tempo nesse lugar, e ele também vai sofrer e tudo pode acabar porque a esponja da pia está no lugar errado.


Uma vez que você entenda que você quem quer a casa limpa, e que isso não é uma coisa que ele deveria adivinhar e fazer o quanto antes porque ele tem outras prioridades e escolhas na vida dele, você chega diante da escolha: você faz sozinha o que você precisa, ou você pede ajuda.


A primeira opção não é viável porque não dá. Seu tempo, sua energia, seus recursos, e a natureza das coisas que você precisa te impedem de fazer tudo só. E eu sei que a segunda opção dói em você: Pedir ajuda dói.


Por isso você queria que ele adivinhasse o que você quer e fizesse antes de você ter que falar disso com ele. Você queria que ele assumisse essa responsabilidade e começasse a tomar iniciativas pra resolver essas coisas antes delas ficarem acumuladas.


A notícia ruim é que ele não vai, ele não é essa pessoa e provavelmente não será. Não porque ele seja uma pessoa péssima que não te ama, mas porque ele não é igual a você, ele não apanhou as surras que você tomou, ele sofreu outras surras e está tentando resolver a vida dentro das coisas que são importantes pra ele.


Sempre presumo que as pessoas que decidem estar na nossa companhia estão porque escolheram estar ali, elas poderiam estar em qualquer outro lugar, mas escolheram por motivos delas, e eu prefiro entender que elas me amam e gostam da minha companhia.


Essas pessoas são tão incríveis que se elas soubessem de algo que eu preciso, elas se movimentariam para me ajudar a resolver. Mas elas não têm uma bola de cristal, e isso me obriga (sim, eu sei que é chato) a falar disso com elas, e o jeito mais fácil de incomodar menos essas pessoas é saber pedir do jeito certo.


Antes de pedir você precisa identificar se essa pessoa que te ama tem as ferramentas pra te ajudar. Um dos meus melhores amigos é um excelente consultor de tecnologias, sempre que preciso comprar algo pergunto primeiro pra ele, e ele se disponibiliza fazer todos os passos, até ir comigo na loja se eu quiser. Mas ele é incapaz de me acolher quando eu preciso desabafar, ele não sabe o que dizer e fica triste junto comigo.


Eu posso ficar com raiva dele, ou entender que ele não pode me dar isso e pedir pra minha outra amiga que sabe muito fazer essa parte. Ou seja: Se o seu marido não lembra nem o que comeu no café da manhã, ele não vai lembrar de colocar a esponja da pia no lugar certo, esperar isso dele é bobagem e só vai gerar sofrimento brigar com ele por isso.


Além disso, entendendo que a necessidade é sua, não faz sentido brigar com a pessoa porque ela não fez o que precisava, não tem como ela ter mapeado na cabeça dela tudo o que você precisa, até porque você sabe que são muitas coisas, né?


Nesse caso, você pode pedir com educação, com jeitinho, deixando claro pra ele o que você precisa. Pode ser a esponja da pia no lugar certo, pode ser um cafuné, pode ser ficar com o neném enquanto você assiste a novela, pode ser buscar sua mãe no aeroporto, pode ser ele tirar os pelinhos dele do sabonete porque você tem nojo...


Todas essas coisas podem ser pedidas, e todas elas são necessidades suas, que o outro não tem a obrigação de se antecipar.


Outro ponto importante no pedir é você entender que o outro tem o direito de te falar não, ou colocar as necessidades dele para atender o seu pedido, não temos escravos no mundo e o querer do outro também importa. Essa parte acaba sendo um problema, mas se você conseguir perceber o outro como uma pessoa que também precisa de coisas, fica mais fácil entender o tempo dele e o jeito dele de executar as coisas.


Talvez ele esteja cansado, ou isso que você está pedindo seja algo extremamente inconveniente, e ele tem o direito de te falar não. Entender que ele continua te amando, mesmo te frustrando, é um exercício importante pra você não acabar entrando no ciclo de sofrimento e angústia que vem quando ele falta.


Por mais que pareça absurdo imaginar que você precisa pedir para as pessoas as coisas que pareçam tão óbvias pra você, lembra que você também não consegue antecipar todas as necessidades dos outros.


Você sendo minha amiga, por exemplo, não saberia que eu tenho uma crise de ansiedade quando pessoas começam a falar muito alto perto de mim, e não faz sentido eu ficar brava com você e brigar todas as vezes que você me levar pra lugares que tenham isso acontecendo.


Eu vou te falar disso, te pedir que me entenda, e pedir pra você pra gente ir embora, com carinho e respeitando caso você queira ficar no role.


Se é tão doloroso pra você a sua casa estar suja, será que é doloroso para as pessoas que te amam estar sempre com a sensação de que não é o suficiente pra você? Essa parte é sua responsabilidade, o que você quer fazer com isso?

2 Comments


Jessika Mendes
Jessika Mendes
Nov 09, 2022

Quero dizer que eu era exatamente essa pessoa que cobrava as coisas do marido o tempo todo por estar cansada. Hoje com a terapia, vejo o quão era sobre estar no controle de tudo. Melhorei, hoje consigo ver exatamente como no texto, outras soluções e pontos de vista sem ser o meu e relaxo mais, e com isso sem muitas cobranças, então sou mais leve com isso tudo!

Não só em relação as tarefas doméstica, mas em tudo. E com esse texto puder ver quem de fato eu era e que hoje sou outra pessoa.

Like

wandrefernandes
Nov 09, 2022

Esse texto é muito bom. Te acolhe e traz pra perto de quem escreveu. Parece uma seção de terapia grátis.

Bem esclarecedor e interessante.

Like
bottom of page